01/02/09

NEW ARTICLE ONLINE / HOW IS KAYAKSURF IN PORTUGAL

NOVO ARTIGO: NUNO BENEDITO ESCREVE-NOS SOBRE O PANORAMA NACIONAL DO KAYAKSURF

Rui, Nuno Benedito e Paulo Lopes / Peniche 2004 - foto: kayaksurf.net

Elemento da organização da prova de Peniche desde a sua primeira edição em 2003, Nuno Benedito respondeu ao nosso desafio e escreveu-nos um interessante artigo sobre o panorama nacional da modalidade. Fracturante em muitos aspectos e, certamente, discutível em muitos outros, é uma excelente visão sobre o kayaksurf nacional. Imperdível!
One more interesting article about kayaksurf in Portugal. English version is available on the top right button of the page. Click on the image below and see it!
PARA LER O ARTIGO, CLICAR NA IMAGEM:




NOVO SITE DE KAYAKSURF / NEW KAYAKSURF WEBSITE
Boas ondas!
luis pedro abreu

Etiquetas: , ,

8 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Porquê não apareceste em Aveiro? Se não foi possivel poderias ter mostrado interesse em fazer parte do "resultado" desse encontro...
Mas tens uma opinião que respeito mas não concordo num ponto em particular. A esta fusão de canoagem/surf envolve os meios da canoagem num elemento específico da àgua, que são as ondas, que é o meio do surf. E de surf acho que não tens conhecimentos. Seja como for acredito que a tua ajuda seria importante para as modalidades que tanto gostas.

João Freitas

domingo, fevereiro 01, 2009  
Anonymous Anónimo said...

Bom dia, João
Não estive em Aveiro por motivos profissionais (mas gostaria de ter estado para responder a certas insinuações), mas transmiti a minha opinião aos membros do CCABP (Ricky).
Quanto a ligação à FP de Canoagem ou à FP Surf, temos opiniões diferentes, julgo que para se relacionar o Kayaksurf à FP de Surf tem de ser fundamentar o porquê desta fusão.
Lanço apenas mais uma questão:
Se em Portugal se praticasse River Surf (surf com prancha de surf em ondas de rio), em que federação deveria estar inserida esta modalidade? FP de canoagem por se estar num ambiente de rio? Julgo que não.
Não considero que seja o ambiente a definir a modalidade mas sim a embarcação/prancha no caso do waveski e a forma de propulsão (a pagaia)…
Um abraço
Nuno Benedito

segunda-feira, fevereiro 02, 2009  
Blogger inverno said...

Apesar do remanço em ondas não ser o meu forte, como nunca escondi de ninguém, gostava de deixar aqui alguns comentários.
Em primeiro lugar quero congratelar o Benedito por este trabalho e agradecer-lhe publicamente o seu contributo para a canoagem portuguesa muitas vezes em nome do ccabp, clube do qual eu faço parte. Em relação aos pontos que li nada a dizer, pois posso discordar com um pequeno aspecto ou outro mas nada que seja pertinente para o assunto neste momento. O que eu acho relevante, e que no meu entender falta nesta avaliação são factores sociais. Problemas que se relacionam com o povo, costumes, modos de vida, falta de ética, politiquices, burocracias, falta de moral, falta de desempenho, falta de crença, falta de dinamismo, conformismo nacional,... Apesar de não poder focar todos estes problemas, pois necessitaria quase do dobro do espaço que a entrevista em causa ocupou, deixo aqui alguns itens que me inquietam.

- Infelizmente vivemos num pais em que não se acredita no trabalho voluntariado. Tudo o que se faz tem obrigatoriamente que ser remonerado para se conseguir atingir os objectivos. É comum afirmarmos : "se queres que resulte e que respeitem as horas tens de pagar aos colaboradores". Compreendo mas entristece-me esta visão curta. Ainda bem que existem excepções senão ainda estariamos numa fase primitiva do mundo dos kayaks.

- Quer queiramos quer não o cidadão tipicamente português é pouco dinâmico. Prefere não assumir a responsabilidade e mandar uns "bitacs" e umas ideias do que ajudar ou criar. Não é um ponto fácil porque também pertence a um país que em termos de horas de trabalho versus salário é bastante precário. Logo prefere o sofá para descansar e a net para se sentir útil à sociedade do que realmente meter as mãos à obra.

- Sonhamos com a grandiosidade em vez de sermos realistas e construirmos debaixo com objectivos bem traçados para alcançarmos o topo. Neste ponto contra mim falo. Sonhamos com grandes patrocinios e super eventos para uma realidade de 30 participantes média por prova. Penso que quem organiza já percebeu e já começamos a falar em formação e divulgação só que mais uma vez a mão de obra tem de se pagar. Quem organiza e dá muito da vida de borla às causas ainda tem de pagar a quem ajuda por duas ou três horas num ano ... é motivante !!!

- Um dos problemas que afectam tanto as águas bravas como o kayaksurf diz respeito à logisitca necessária para praticar estes desportos. Se para um adulto que trabalha muitas vezes é complicado imaginem para adolescentes que pouco dinheiro têm e muitas vezes nem de carro usufruem. Em casa muitas vezes é mais fácil juntar uns trocos e ter boleia para jogar à bola do que ir para o mar ou rio kayakar. Não comento isto decore. É um dos pontos que estou de momento a tentar ultrapassar com a equipa do ccabp em Arouca.

- A famosa e bela BUROCRACIA NACIONAL. Este é um dos pontos de eleição para quem quer organizar eventos, formações, campeonatos, ... neste belo país. Para quem controla tempos e produções num mercado que se quer competitivo até à chegada da crise este ponto é ridiculo. Maior parte das instituições estatais não ajudam em nada. Obrigam a cumprir uma data de requisitos, os quais não me oponho, mas que para os conseguirmos ultrapassar é de dar em doido. Simboliza faltar ao trabalho, passar horas em frente aos computadores para fazer todo o tipo de papelada, estar em filas enormes, pagar elevadas quantias por coisas caricatas. Exemplo ? Tentem tirar a licença da capitania para organizar a prova da barra ... Todos os anos os critérios mudam e os preços já ultrapassam há muito os 200 euros. "Até doi" assumir este custo sem certeza de haver prova ou haver participação. Isto é só um exemplo. Conseguem imaginar quem trabalha ficar quatro, cinco ou seis horas à espera para ser atendido numa câmara e dps tudo se resolver passado um dia pelo telefone ? Dá vontade de matar ...

- Politiquices e federações prefiro nem comentar. Sempre que leio assuntos de federações ou falo com pessoal que compete tudo transpira corrupção, jogos sujos e interesses. Aliás o ambiente que se vive em torno de algumas modalidades de canoagem deixa-me perplexo. É isto o desporto saudável ? Sei e defendo que qualquer dia temos de nos aliar a uma federação. É óbvio. Mas sou da opinião que quando nos sentarmos à mesa que seja com força, com numeros significativos de participantes, com eventos bem organizados, com voto na matéria. Aliás foi a opinião de praticamente todos os participantes no forum de aveiro. Muitos já tinham tido experiências com federações e muitos apontaram o seu descontentamento com as mesmas.


Muito mais há para dizer e de uma forma mais bem elaborada pois estas linhas foram escritas um bocado à pressa. Tentam ser um complemento às boas ideias do Benedito.

Já agora aproveito para dizer que do forum de aveiro saiu um grupo de trabalho bastante bom. Nem tudo são espinhos. O Clube de Canoagem e Águas Bravas de Portugal, os WaveSurvivors, o Team Marafado, o Team Ocean Spirit e o independente João Freitas tudo tem feito para que este circuito que se avizinha seja o melhor de todos. Para quem leia estas linhas meta desde já uma coisa na cabeça, a melhor forma de apoiar e ajudar a desenvolver estes desportos é participar. Participem que quem organiza sente que valeu a pena. No ano a seguir tem mais força para continuar e para melhorar.

Abrazongz a tutti,

Ricardo Inverno
Clube de Canoagem e Águas Bravas de Portugal

segunda-feira, fevereiro 02, 2009  
Anonymous Anónimo said...

Olá Nuno,

Nesse ponto das federações estamos de acordo, eu refiro-me a algumas sugestões que fazes relativas à duração dos heats, a criação de tantas classes quantas as que surjam, enfim fiquei com a ideia que "surfar" aqui parecia sugerir uma prova para ver quantas ondas consigo fazer em 15 minutos, quanto mais compridas melhor, e rápidamente para voltar depressa e fazer mais meia dúzia que o amigo do lado. Creio que isto não é o surf que pratico.
Mas nada como conversarmos num próximo encontro, um abraço e até breve.

João Freitas

quarta-feira, fevereiro 04, 2009  
Anonymous Anónimo said...

gostei sou de outras águas mas continuo atento a esta onda do kayak surf. faço kayak de mar mas já vi algumas provas em peniche e o espectáculo é mt bom. parabéns também a esta página que dá tanta visibilidade à modalidade.
manuel costa

quarta-feira, fevereiro 04, 2009  
Anonymous Anónimo said...

Caros,

Estou a gostar de ler, quer o artigo quer os comentários, Nuno, felicitações pela iniciativa.

Concordo com o comentário do Inverno quanto ao custo deste desporto, e mesmo se compararmos com o surf, é muito mais caro e, uma prancha cabe num quarto, um kayak já é mais difícil. É um facto a ter em conta, especialmente por não termos ainda dimensão para ter clubes com vários barcos que se possam emprestar ou algo do género, para fazer formação.

Um facto que noto desde que me tenho dedicado mais ao kayaksurf (e notem que nunca experimentei surf de prancha) é que, a modalidade tem muito a ver com o surf. Em certa medida, é capaz de ter mais a ver com surf do que com a canoagem. Conheço pessoas que aprenderam a remar só para fazer kayaksurf/waveski. Tenho surfado com surfistas de prancha e aprendo bastante com eles, nomeadamente no que toca à leitura do mar e na forma de apanhar ondas. O saber estar dentro de um kayak aprendido em rio (ou mar...) é muito útil, mas na verdade, só com isso, não surfamos, esta-se talvez mais perto do freestyle.

Por outro lado, a máquina do surf está muito bem oleada, há imensas escolas ao longo da costa que trazem jovens e miúdos para o mar para surfar. Provalvelmente algum tipo de aproximação a estas escolas ou clubes, despertando curiosidade para uma forma diferente de surfar em idades tão jovens não seria de descurar...

Quanto ao tempo dos heats, penso que a ideia do Nuno é puxar mais para que os participantes façam ondas mas, estando habituado a heats de 20min, quando fiz um de 15min achei muito pouco. Será que não há forma de penalizar se fizermos menos do que tantas ondas??? Agora temos de ter muito mais disciplina em cumprir os horários nas provas do que o que tenho visto no CNKS, (eu incluído)...

Abraços e boas surfadas!

Vasco Lopes Paulo

quarta-feira, fevereiro 04, 2009  
Anonymous Anónimo said...

Parabens pelos artigos.

Gostei muito dos de preparação fisica. Este é mais para quem pratica este desporto mas tambem gostei. Tenho um kayak antigo mas gostava de experimentar. O que é que me aconselham?
Carlos Lopes (não é o das corridas!)

quinta-feira, fevereiro 05, 2009  
Anonymous Anónimo said...

Boas,

Antes de mais os meus parabéns ao Nuno pelo artigo e pela escolha do tema!

Quanto à pertença do Kayaksurf no FPSurf ou na FPCanoagemFPS eu sinceramente não acho que seja uma questão assim tão importante, apesar de fracturante de opiniões e de eu achar que o KayakSurf é mais uma vertente da Canoagem, também sei que a evolução do KS só tem sido possível fruto do trabalho de um punhado de amigos que se reúnem à bastante tempo para organizar aquilo que nunca ninguém, nem nenhuma Federação, mostrou o mínimo de interesse em acolher no seu seio. Aqui tenho de dar os devidos créditos ao CCABP e a todos os que contribuíram para organizar o actual Circuito Nacional, ao Kayaksurf.net pela divulgação, aos fabricantes nacionais por disponibilizarem no nosso mercado material de qualidade e preço mais vantajoso para as nossas "carteiras" e a todos os que tem participado e ajudado a divulgar o KS por essas praias fora....se n fossem eles não estávamos a falar nem de Federações nem de Circuito Nacional e possivelmente nem de KS.

Para mim a questão essencial está na formação e na captação do interesse dos mais, ou menos, jovens, aqui temos todos um papel a desempenhar...nas competições aceito que o espírito competitivo não permita grandes "aulas" sobre KS, agora fora delas não posso aceitar atitudes de suposta superioridade técnica só porque há alguém novo, ou pq tem material "menos radical" e é colocado de lado em vez de ser acolhido, é aqui dou os parabéns a todos os que se privam de 30m de prazer próprio e permitem a alguém sentir o que é o KS, mesmo que seja um presidente de Câmara!!!

Quanto às organizações, umas melhores e outras piores, penso que apenas quem já esteve envolvido na organização de qq coisa é que consegue dar o valor devido. Concordo com o Nuno, pois no essencial têm cumprido e sendo certo que podem sempre melhorar, não posso deixar de dar os parabéns a todos os que nos acolhem e recebem. Também tenho de concordar com uma coisa que o Ricardo Inverno disse, "...Quem organiza e dá muito da vida de borla às causas ainda tem de pagar a quem ajuda por duas ou três horas num ano ... é motivante !!! ..."
, acho que é algo em que devemos pensar antes de criticar!!


A discussão aberta é sempre importante, só assim se evolui, partilhando, discutindo e debatendo ideias por isso toca a dar o v/ contributo!!

Abraço,

Hugo Nascimento

quinta-feira, fevereiro 05, 2009  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home